terça-feira, Julho 04, 2006

O que é a Psicopedagogia

Quando se fala em psicopedagogia fala-se em: uma teoria, um conjunto de métodos e práticas pedagógicas; um conjunto de componentes psicológicas, psicofisiológicas individuais e psicossociais da vida dos grupos intervenientes numa situação de educação. A intervenção psicopedagógica é muito ampla, pois tanto inclui dificuldades de aprendizagens, como problemas de desenvolvimento, à orientação em geral, à educação e a outros campos que são objecto de estudo de outras disciplinas próximas. Sendo uma situação de educação constituída essencialmente pelo encontro de dois ou mais grupos humanos no seio do espaço institucional ou privado, tendo em vista uma acção exercida por um dos grupos sobre os outros, é possível analisar o conjunto dos factores psicológicos em relação a três eixos principais: o dos parceiros da situação; o das relações entre os parceiros e a comunicação analisada sob o ângulo psicopedagógico; o da acção exercida pelo chamado grupo dos “educadores” sobre o dos “educandos”.

Existem vários princípios psicopedagógicos, um fundamental é o da adaptação de qualquer acção educativa às possibilidades psicológicas do sujeito em questão, tendo em conta o seu nível de desenvolvimento psicológico. No entanto, a realidade psicológica não é o único elemento a ter em conta, é sim um dos elementos da situação de educação que não pode ser deixado de lado. Cada sujeito tem a sua personalidade, que se deve ter em conta para ajudar na evolução geral do sujeito, assim como na sua educação. Existe uma grande necessidade de ter em conta todos os tipos de personalidade. Os caminhos para se orientar a finalidade a atingir com cada sujeito, são diferentes; o papel deste projecto consiste em procurar, em função dos dados individuais e das suas finalidades e objectivos, os caminhos mais adequados para organizar a sua acção pedagógica. Há que ter em conta o que é comum e o que é diferente em cada um dos sujeitos para organizar a sua acção educativa e permitir o máximo de eficácia.

No fundo consiste em procurar constantemente formas de acção que utilizem todas as possibilidades actuais do sujeito para encontrar os caminhos de um desenvolvimento óptimo em função das aprendizagens a organizar, dos conhecimentos a adquirir. Educar é ajudar um indivíduo a fazer um certo número de aprendizagens que lhe serão úteis na vida. A aquisição de um conhecimento, só raramente é definitiva depois de uma única apresentação. A maior parte das aquisições faz-se depois de um certo número de repetições, esquecimento e de reaprendizagens.

A intervenção é de carácter intencional e planeado, exigindo um certo nível de estruturação e de formalização. A intervenção é facilitadora, estabelece pontes que devem ser progressivamente retiradas para que o sujeito possa retomar a sua autonomia. Existem várias contribuições educacionais que implementam o uso de melhores estratégias, com foco especial na autodeterminação, aprendizagem auto-regulada, de superação do fracasso e baixo rendimento, ilustram a aplicação ao campo das dificuldades de aprendizagem dos conhecimentos mais actuais procedentes da psicologia científica e da psicologia cognitiva e do ensino.

4 comentários:

Santal_Maluko disse...

oi oi!!

ja agora esclarece-me.... psicopedagogia cura o q ? :D

Helena Veiga disse...

A palavra curativa tem vários opositores, existem muitos técnicos que não acham adequado este nome, exactamente por questões como estas "Cura o quê?", e ainda porque pode levar à descrença das pessoas, pensando que a cura se baseia numa "mezinha cazeira". Na realidade o curativa tem como intenção mostrar a relação da psicopedagogia com a vertente da saúde e de estar implicita nos comportamentos virados para a saúde.

Anónimo disse...

então se entendi bem a psicopedagogia ajuda o indivíduo a empregar de forma correta o que aprendeu ao longo da sua vida ?? certo ou nada a ver??

Anónimo disse...

é mais ou menos isso. ensinamos de novo :P...

claro que fazemos muito mais que isto :D